Cúrcuma é um tempero apimentado usado na culinária há séculos, principalmente na cultura indiana. Tem uma coloração amarelo /alaranjada bastante característica.  Cientistas já demostraram que a cúrcuma apresenta várias atividades biológicas, mas seu funcionamento ainda não é complemente elucidado. A partir de testes laboratoriais, ela demonstrou atividade anti-inflamatória e anticanceríge

As substâncias presentes na cúrcuma, chamados curcuminóides, previnem inflamação através da inibição de moléculas que mediam reações inflamatórias e são ricos em antioxidantes. Em ratos, cúrcuma preveniu o desenvolvimento de dano renal por toxinas e proteção ao desenvolvimento de câncer de cólon, estomago e pele. Alguns estudos sugerem que a cúrcuma tenha atividade em pacientes com câncer, mais pesquisa ainda é necessária para comprovar seu benefício.

Ela é usada na medicina tradicional indiana para melhora circulação e digestão. Além disso, é vendida como suplemento para melhorar memória, artrite, reduzir inflamação e   prevenção do câncer.

Cúrcuma é segura quando consumida na dieta, tente introduzi-la como tempero na sua cozinha! Quando usada na forma de suplemento de forma indiscriminada, por trazer altas concentrações, ela pode interagir com outras medicações e pode até fazer mal. A medicina integrativa orienta o uso correto dos suplementos.

Atenção: Cúrcuma pode inibir a ação de alguns quimioterápicos. Paciente com desordem intestinal ou com tendência a formação de pedras renais, deve usar o suplemento com cautela. É contraindicada em pessoa com obstrução biliar, pedra na vesícula, úlcera gástrica e hiperacidez gástrica.

Fonte: https://www.mskcc.org/cancer-care/integrative-medicine/herbs/turmeric