O câncer de mama é neoplasia mais comum entre mulheres no mundo todo e a principal causa de morte por câncer entre mulheres no mundo. O câncer de mama hereditário, aquele que é transmitido entre familiares, ocorre apenas em 10% dos casos.  Há vários fatores de risco já estudados e que são identificáveis como causa da doença.  

Os fatores de risco para desenvolvimento do câncer de mama são: 

– Idade – o risco aumenta com o envelhecer; 

– Raça branca – apesar de também ser prevalente em todas as etnias;  

– Peso e gordura corporal:  

1) Ganho de peso na pré-menopausa aumenta o risco de desenvolver câncer de mama quando já na pós menopausa, dados sustentados por metanálise.    

E por quê? O tecido adiposo é local de conversão de precursores de estrógeno em estrógeno.  

Logo, quanto mais tecido adiposo, mais estrógeno. Muitos tumores crescem e se desenvolvem com estrógeno. 

A hiperinsulinemia, o aumento dos níveis de insulina na circulação do sangue, geralmente associado com pré-obesidade e obesidade, também explica o fenômeno.  

2) Ao contrário, o IMC alto está relacionado a menor risco de desenvolver câncer de mama, se antes da menopausa. A explicação ainda não é clara.  

 
Fatores de risco hormonais: 

– Uso de andrógenos – infelizmente comum nos dias de hoje mulheres fazerem reposição de testosterona. Níveis elevados de testosterona estão relacionados a aumento do risco de desenvolvimento do câncer de mama;  

– Insulina – altos níveis de insulina aumentam o risco de câncer de mama, o chamado pré-diabetes ou resistência insulínica (Confira aqui um artigo que escrevi sobre Açúcar e Câncer). O diabetes não é considerado risco.  

– Reposição hormonal na menopausa – é fator de risco para desenvolvimento da doença. Se for fazer reposição, fazer pelo menor tempo possível.  

Fatores reprodutivos: 

– Primeira menstruação (menarca) precoce e menopausa tardia – pela maior exposição aos hormônios femininos;  

– Multiparidade – ter várias gestações é fator protetor. Assim como não ter filhos, aumenta o risco. 

História pessoal: 

– Quem já teve o carcinoma ductal in situ ou câncer invasivo, tem alto risco de desenvolver câncer na outra mama; 

– História familiar – câncer de mama em parente de primeiro grau aumenta 2x o risco. Se em dois ou mais parentes de primeiro grau (mãe e irmã, p. ex.) pode aumentar em até 3x o risco.  

Estilo de vida: 

– Álcool – é o item da dieta que mais aumenta o risco de câncer de mama. Não há quantidade e recomendação segura quando se trata de câncer de mama;   

– Tabagismo – cigarro – quanto mais fumar e por mais tempo, maior o risco;  

– Trabalhadoras noturnas – um estudo com enfermeiras de turno noturno mostrou aumento no risco, provavelmente por alterações hormonais causadas por noites mal dormidas. 

– Exposição prévia a radiação – pacientes que radioterapia próximo a mama, para tratamento de outras neoplasias quando mais jovem. 

Fatores protetores: 

– Amamentação;  

– Atividade física – protege principalmente na pós-menopausa. Atividade física protege tanto por ajudar no controle de peso quanto por influência hormonal, reduzindo níveis de estrógeno, insulina e fator de crescimento dependente de insulina. 

Fatores dietéticos  

– Dieta do mediterrâneo – dieta baseada em alta ingesta de vegetais e frutas, peixe, azeite de oliva – parece reduzir risco câncer de mama;  

– Frutas e vegetais – alta ingesta também parece reduzir o risco;  

– Alta ingesta gordura, carne vermelha e processados – também parece aumentar o risco.  

Fonte: UptoDate – Factors that modify breast câncer risk in women