Apresentado no congresso da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (Asco) novo esquema de tratamento adjuvante para câncer de pulmão. Tratamento adjuvante é aquele empregado após a cirurgia que tem como objetivo aumentar a possibilidade de cura através da eliminação de focos de micro metástases.

O estudo ADAURA usou a medicação osimertinib que foi capaz de reduzir o risco de recorrência ou morte em 80% entre os pacientes com doença estádio inicial da doença. Os pacientes eram operados eram divididos em dois grupos, um recebia placebo e o outro recebia a medicação durante 3 anos. 

Osimertinib é um inibidor de tirosina quinase de terceira geração. A droga faz parte do arsenal das chamadas drogas-alvo que precisam de um alvo específico para funcionar, nesse caso os pacientes deveriam ter mutação no gene EGFR do tumor. 

A medicação já é aprovada no cenário de doença metastática com resultados também bastante impressionantes. O perfil de toxicidade também já é conhecido e de excelente tolerância pelos pacientes em relação a quimioterapia. 

O câncer de pulmão é o mais letal entre todas neoplasias e a novidade foi recebida com muito entusiasmo pela comunidade científica, sendo considerado uma mudança de paradigma no tratamento do câncer de pulmão. 

Fonte: Herbs RS et al. ASCO 2020, Abstract LBA5